Camisas do Palmeiras

Palmeiras x São Paulo: Guerra fria para apontar último finalista


19/04 Publicado em Notícias do Palmeiras por Davidson ás 10:36 pm |Permanlink|

Uma verdadeira guerra fria. Assim pode ser definido o ambiente que precede o terceiro clássico do ano entre Palmeiras e São Paulo, neste domingo, às 16 horas, no Palestra Itália. Decisivo para apontar quem será o segundo finalista do Campeonato Paulista, o jogo mexeu não somente com os atletas e membros da comissão técnica. Atingiu as diretorias dos dois clubes.

Se dentro de campo as cotoveladas, joelhadas, pênaltis e gols marcados com a mão aqueceram os dois primeiros encontros das equipes na temporada, fora dele a troca de farpas entre Toninho Cecílio, gerente de Futebol do Palmeiras, e Marco Aurélio Cunha, superintendente do Tricolor, tem tornado o clima da guerra fria, ironicamente, cada vez mais quente.

A discussão entre os cartolas foi tão séria que ultrapassou os limites do bom senso, com Marco Aurélio Cunha chegando a “prever” a demissão de Toninho Cecílio e o rival taxando o são-paulino de “desprezível”. Para impedir que o clima afete o desempenho dos times dentro de campo e estrague o espetáculo, os técnicos das duas equipes tomaram a linha de frente.

São Paulo e Palmeiras, por si só, já são grandes o suficiente para deixarem o clima do jogo quente e bonito. Não precisam dessas coisas pequenas, insignificantes”, disparou o palmeirense Wanderley Luxemburgo. “O que interfere no resultado de um jogo é a produtividade dos atletas dentro de campo, e foi isso o que o São Paulo fez no outro jogo. O resto é pequeno perto da grandeza desse clássico”, completou.

Experiente, o goleiro Marcos avisa que a troca de farpas entre os cartolas não terá influência dentro de campo. “De forma alguma consideramos os jogadores do São Paulo como nossos inimigos, mas sim como rivais de profissão. Não somos gladiadores e não entramos em campo para nos matar”, prometeu o camisa um.

No Palmeiras, a grande dor de cabeça é encontrar uma fórmula para anular Adriano. Autor dos dois gols são-paulinos na primeira semifinal, o camisa dez terá atenção triplicada no Palestra Itália. “O Adriano realmente é um jogador muito difícil de marcar. Temos que fazer como no outro jogo (vitória por 4 a 1, em Ribeirão Preto) e evitar cometer faltas laterais, pois o Jorge Wagner bate muito bem na bola”, receitou o lateral-direito Élder Granja.

Do lado são-paulino, a ordem é forçar o jogo em cima do “Imperador”. E a confiança em um bom resultado é grande. “Ele é um jogador que intimida, sabe usar o corpo nas jogadas. Com certeza, se o Palmeiras, der mole, o Adriano atropela”, avisou o zagueiro Miranda.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS X SÃO PAULO

Local: Estádio Palestra Itália, em São Paulo (SP)
Data: 20 de abril de 2008 (domingo)
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalo e Vicente Romano Neto (SP)

PALMEIRAS: Marcos; Élder Granja, Gustavo, Henrique e Leandro; Martinez (Wendel), Léo Lima, Diego Souza e Valdívia; Kléber (Denílson) e Alex Mineiro
Técnico: Wanderley Luxemburgo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Alex Silva, André Dias e Miranda; Joílson, Hernanes, Fábio Santos, Hugo (Júnior) e Jorge Wagner; Borges (Dagoberto) e Adriano
Técnico: Muricy Ramalho.

Via: GazetaEsportiva.Net

Leia também:




Home | Site do Palmeiras © 2007 - 2014 - Todos os direitos reservados.