Camisas do Palmeiras

Palmeiras move ação contra Jorge Wagner, mas nega contra-ataque


18/03 Publicado em Notícias do Palmeiras por Davidson ás 9:04 pm |Permanlink|

A vitória por 4 a 1 sobre o São Paulo, domingo, em Ribeirão Preto, não foi o capítulo final na história recente entre o Palmeiras e o clube do Morumbi. Nesta terça-feira, dia em que o promotor Edison Richelmo Zago adiantou que irá oferecer denúncia ao Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) contra Kléber, que atingiu o são-paulino André Dias com uma cotovelada, a direção do Palmeiras anunciou o contra-ataque.

Protocolamos uma queixa em razão da conduta inadequada do jogador Jorge Wagner, que agrediu deliberadamente o jogador Valdívia com uma joelhada na altura da cintura. Esperávamos que o Tribunal oferecesse a denúncia e agora esperamos que possam analisar a questão e levar a julgamento também”, discursou Savério Orlandi, diretor de Futebol do Alviverde, negando, no entanto, rotular a ação do clube como um contra-ataque ao co-irmão.

Não é revide ou contra-ataque, e sim a defesa dos direitos do clube. Não podemos jamais sermos omissos e tomaríamos essa atitude mesmo que não houvesse qualquer problema entre o Kléber e o André Dias”, assegurou o cartola.

Além do protocolo contra Jorge Wagner, Savério Orlandi confirmou que também está estudando a possibilidade de entrar com uma queixa contra dois outros são-paulinos: Richarlyson e Carlos Alberto, que também teriam agido de forma incorreta com o chileno Valdívia durante o clássico disputado no Santa Cruz.

Estamos analisando as outras imagens. Temos um prazo até amanhã (quarta) para ver as outras denúncias. Essas outras situações não estão claras e teremos cautela para analisar o prazo. A do Jorge Wagner não temos dúvida”, repetiu.

Questionado se o fato de o procurador Edison Zago trabalhar paralelamente como presidente do Conselho Fiscal do São Paulo poderia influenciar nas decisões do Tribunal, Savério foi político.

Vejo isso com certa normalidade, pois os cargos nos Tribunais não são remunerados e as pessoas trabalham lá pelo bem do futebol. Confio no trabalho dele, que já mostrou credibilidade e isenção”, finalizou.

Histórico recente: A confusão envolvendo são-paulinos e palmeirenses não é novidade. No primeiro turno do Campeonato Brasileiro de 2007, Edmundo foi suspenso por dois jogos por uma entrada violenta no zagueiro Miranda, que foi punida pelo árbitro apenas com cartão amarelo. No contra-ataque, o Palmeiras solicitou ao tribunal que julgasse o atacante Marcel por uma cotovelada no olho do zagueiro David, sem sucesso.

No segundo turno da mesma competição, o goleiro reserva do São Paulo, Bosco, reclamou que foi agredido, no estádio Palestra Itália, pela torcida após a vitória do São Paulo por 1 a 0.

A diretoria palmeirense agiu rápido e, com as imagens gravadas por um funcionário do clube, acusou o goleiro por simular ter sido atingido por uma pilha jogada das arquibancadas. Enviou a imagem para o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e conseguiu a punição do reserva de Rogério Ceni.

Via: GazetaEsportiva.Net

Leia também:




Home | Site do Palmeiras © 2007 - 2014 - Todos os direitos reservados.