Camisas do Palmeiras

Mirassol marcou seis gols em cima do Palmeiras só no primeiro tempo


28/03 Publicado em Notícias do Palmeiras por Renata ás 7:16 am |Permanlink|

Com atuação desastrosa no primeiro tempo, o Palmeiras foi goleado por 6 a 2 pelo Mirassol na noite desta quarta-feira, pela 15ª rodada do Paulistão Chevrolet. Na parte alviverde da arquibancada do José Maria de Campos Maia, em Mirassol, ecoaram xingamentos até para quem não jogou, como o lesionado Valdivia. Daquelas noites para o torcedor palmeirense esquecer para sempre… Nem os sete desfalques – Valdivia, Henrique, Kleber, Maurício Ramos, Vilson, Souza e Maikon Leite – explicam tal vexame.

Mirassol marca seis gols em cima do Palmeiras so no primeiro tempo

O treinador do Palmeiras foi forçado a colocar pela primeira vez o zagueiro Marcos Vinícius de titular por conta do excesso de problemas no setor. O estreante marcou gol contra aos 40 segundos de jogo. Foi o começo de uma tragédia de 45 minutos.

A partir daí, o que não faltaram foram falhas. Caion fez dois, aos nove e aos 11, aproveitando-se de Marcos Vinícius e Márcio Araújo. Para reagir, Gilson Kleina colocou Ronny em campo e o meia cruzou para Caio fazer, aos 22, e balançou as redes aos 30. Uma esperança nascida em vão. Aos 39, Leomir fez golaço de falta e abriu nova série de chutes certos contra Fernando Prass: Medina, aos 43, e Camilo, aos 46, fecharam o placar.

O técnico palmeirense chegou a reclamar com a arbitragem sobre a demora no atendimento médico aos jogadores do Mirassol, mas seria melhor para o Alviverde que a bola rolasse menos. Com 39 minutos, Leomir cobrou falta com perfeição, marcou o quarto da equipe do interior e deu início a mais uma blitz.

O segundo tempo serviu só para completar a apática atuação do Verdão. Na tabela, a consequência não é tão grande, já que o time segue na sétima posição, dentro da faixa de classificação para as quartas de final e tem chance de se recuperar ao receber o Linense, no Pacaembu, às 18h30 (de Brasília) deste sábado

Gilson Kleina voltou do intervalo com João Denoni no lugar de Léo Gago, deixando claro que o objetivo era não levar mais gols. Uma meta pequena diante da história do Palmeiras e que se confirmou aos longo de tristes 47 minutos para seu torcedor, sem nenhuma emoção entre os que estavam em campo. O palmeirense já não sabe mais o que esperar.

Fonte: Lance Net.

Leia também:




Home | Site do Palmeiras © 2007 - 2014 - Todos os direitos reservados.