Camisas do Palmeiras

Goleiro Marcos: ‘Foi ridículo! Posso ser punido pela atitude e não pela minha intenção’


11/11 Publicado em Notícias do Palmeiras por Davidson ás 9:33 pm |Permanlink|

O goleiro Marcos dificilmente concede entrevistas coletivas na Academia de Futebol do Palmeiras. Geralmente ele conversa com a imprensa somente após os jogos, mas nesta terça-feira, na reapresentação do elenco, o capitão alviverde fez questão de pedir desculpas públicas antes mesmo de conversar com o técnico Vanderlei Luxemburgo. O motivo da sua atitude foi a vontade, que ele considerou precipitada, de bancar o atacante na derrota para o Grêmio por 1 a 0, no último domingo, no Palestra Itália, pelo Campeonato Brasileiro.

Marcos partiu para o ataque em quatro oportunidades. Em todas, Luxemburgo gritou desesperado do banco de reservas para ele permanecer no gol. O goleiro não atendeu. Todo mundo entendeu que houve quebra no comando do treinador. Mas o capitão alviverde jurou que jamais faria isso, reconheceu que extrapolou e avisou que acata qualquer punição que partir da comissão técnica.

Foi ridículo o que fiz. Não acreditei quando vi os melhores momentos da partida. Mas não houve quebra no comando do Luxemburgo. Não ouvi ele me pedindo para ficar no gol e nenhum companheiro me falou nada. Posso ser punido pela atitude, pois não deveria ir ao ataque, e não pela minha intenção. Quis apenas ajudar e peço desculpas públicas pelo meu erro – afirma Marcos.

O goleiro fez questão de esclarecer que o seu relacionamento com Vanderlei Luxemburgo é o melhor possível. O goleiro lembrou que foi o treinador que apostou em sua recuperação no início do ano e barrou Diego Cavalieri, que vinha atuando muito bem no time titular, e bancou o seu retorno ao gol.

Eu ainda não conversei com o Luxemburgo. Preferi conceder entrevista coletiva para dar as minhas explicações e pedir desculpas públicas. Aceito qualquer punição e respeito o comando do nosso treinador. Mas tenho certeza que ele acredita na minha palavra. Não existe desconfiança no meu trabalho e no meu caráter – diz o goleiro.

O capitão alviverde afirmou que todo mundo tem o direito de julgar a sua atitude, mas ele reclamou de quem criticou a sua intenção sem saber o que ele estava pensando naquele momento. Mesmo sem citar nomes, Marcos contou que perguntou quanto tempo estava faltando para acabar e se confundiu com os números que foram passados com as mãos.

O erro foi meu e assumo. Mas perguntei para uma pessoa quanto tempo faltava para acabar o jogo e ela fez o sinal de 2 e 5. Pensei que faltavam sete minutos e me mandei para o ataque. Perdido por um, perdido por dois. Só fui perceber o erro quando minha mulher comentou comigo, dentro do carro e no caminho para casa, fui ao ataque pela primeira vez aos 29 minutos. Foi aí que percebi o meu erro e notei que haveria muita polêmica em cima do assunto – lamenta Marcos.

Via: GloboEsporte.com

Leia também:




Home | Site do Palmeiras © 2007 - 2014 - Todos os direitos reservados.